Quem é o que não pode ser?

Sempre que me surpreendo com a escrita de um texto mais denso ou quando teço opiniões poéticas sobre as veias humanas que nunca secam, faltam-me vozes, pois quase ninguém se envolve na brincadeira. Será o receio de ver-se através dos olhos acusadores da mente?
Subverta seus padrões. Conhecer-se a si próprio colabora para o rompimento das amarras. Para a liberdade. O conhecimento é a chave. Nem só leia, nem só viva. Equilibre-se. Tem gente que passa a vida medindo sua inteligência pela quantidade de livros que leu durante a vida e mete os pés pelas mãos na hora de tomar uma atitude. Não há maestria sem prática. Não há poesia sem alma. Não há humanidade sem dor.
(Barbara-Ella

Postar um comentário