Luto

Há alma.
Hoje é fluído ferido e mergulhado no cheiro da morte do índio.
Olhos vis se perderam em contratos cifrados e sem pulso.
Homens venderam a alma de tudo vivo.

(Barbara-Ella


Postar um comentário