Diário de bordo: O Pesadelo

Na noite passada, tive um pesadelo. Um pesadelo quase engraçado, se é que isso existe.
A lua estava imensa! Uma esfera assustadora que tomava o céu. Bem lá, eu sorria. Sabia. 
Os mares do planeta se elevaram e eu via, do décimo andar do apartamento onde moro, a morte molhando meus pés.
Lembrei de rezar. Implorei para que a bola prateada retomasse sua órbita natural.
De pronto fui atendida e um vento soprou na face da Terra. Graça e poder! O oceano se recolheu: Deus.

(Barbara-Ella


Postar um comentário