Fotopoemando 5 - Depois da tempestade


O mar ainda era morno
da chuva que o embriagou durante a madrugada

A areia, marcada de suportar o peso dos meus sonhos, alterava a carga das moléculas dentro da minha esperança

E o céu parecia mirabolar fórmulas quimicamente dispostas a atrair testemunhas do milagre que ali acontecia:

A Natureza era Deus me curando.

(Barbara-Ella

Fotografias: Claudia Paes Leme. Amiga e Atleta.

Postar um comentário