Quilmi

Ecos de egos gritantes. As bocas estão  cheias das palavras palavrinhas. Vaidosos. Subjulgam semelhantes às suas lânguidas e embriagadas línguas. Não sentenciem óbito ao poema que escrevem feito quem morre no desespero de perder. Não. Aqui não. Não assim desse jeito, cobrando tarifa por minhas palavras tão carinhosamente cultivadas. Oculto-me dos salões de aplausos. "Não é isso que busco..." - Eu disse.

(Barbara-Ella

Postar um comentário