Tanto pouco

Já escrevi entre parênteses duplos, com letras de alto escalão e testei misturas mirabolantes, pra manter-me lúdica. Já fotografei gente sorrindo torto, trocando punk por poser, sem saber a diferença. Moças rasgando a meia-calça e exibindo fotografias de bebês recém saídos do passado. Já vi muita coisa louca e alguma coisa sã. Sonhos de todas as cores e dedos sisudos, apontando abismos e pistas de dança.
Já vi tantos, tantas vezes e de novo quase nada, que fico outra vez com o invisível...

(Barbara-Ella

Postar um comentário