Descolada

E enquanto a manhã do novo ano adormece,  desperto os olhos com duas mil e quatorze palavras. É um mantra de amor. Uma ode às simbologias que perseguem o entendimento.

Acompanho de perto o diálogo entre os treze eus que decidi descolar de mim. Eles enxergam meu neon, pois agora desejo todas as novidades. É hora de começar tudo outra vez.

(Barbara-Ella

Imagem:Arquivo pessoal

Postar um comentário