Só sem som

Plateia teísta e incrédula. 
Corpos ocos. Sem ecos. 

Aconteceu um dia, quando feito bruxaria de vento, levaram a cuca de todos embora... 

Sonho sitiado no céu da boca e só. 
Sem lendas, sem mitos, sem heróis. 

Espada laminada, a língua, lavrou a palavra. 
A saudade está morta.

Barbara-Ella)

Postar um comentário