Olhos de céu

Sigo por uma estrada de mão dupla.

Espelho o eu que desmoronou dos ares e caiu no colo do universo.

A música bate calada dentro do meu corpo. São mil badaladas no meio do dia e eu, compadecida do afeto que me doo.

(Barbara-Ella


Postar um comentário