De novo outra vez a mesma coisa

Quaisquer palavra, símbolo ou grunhido pertencem à natureza, 
Consciente ou não.

Não são exclusividade de quem quer que os queira, por assim dizer,
Conveniência.

São meros algos usados e refeitos, entre beiras, fins e recomeços.

O que se guarda entre os parênteses,
No entanto, deve ter ação dizente,
Falante de signos autênticos,
Não indutores de movimentos copiantes...

((Complexo é tentar, sem ser antes))

(Barbara-Ella



Postar um comentário