Dedo de poesia

Concluí que se hoje não sigo o poema,
É porque sou maior que essa história inventada.
Distante dessa confusão que me acaba.
Como um suspiro que enche de ar um pulmão viciado e cheio de fumaça.

Sou vítima do amor.

(Barbara-Ella

Imagem internética)
Postar um comentário