Anos Luz

Por vezes meu sol cresce na proporção de um jovem astro exibido. E de tão aquecido, borbulha diante de outras estrelas, também gigantescas. Permito um dourado que, de tamanha grandeza, perde seu sentido no Universo. De que serveria tanta luz, se ela não pudesse ser partilhada? 

((Por que perdoar um brilho que cega sem parcimônia, quando pretende assumir seu encanto?))

Deverei ser outra, para que outros pontos iluminados se destaquem
no espaço, ou serei minha identidade sem remorsos?

É quando pretendo descobrir meus olhos que compreendo o quanto ainda preciso lutar por um espaço justo no infinito...

(Barbara-Ella

Arpoador de sonhos)

Postar um comentário