Conto Psicorientalista

Duas pessoas conversavam sobre uma terceira pessoa. Elas criticavam sua conduta e afirmavam com veemência que as palavras usadas pela tal, eram palavras duras demais.

Com o passar das luas, os comentários foram sendo alimentados, e os "achares" encontraram abrigo num coro de vozes.
Apareceram opiniões e críticas de todos os lados! E o mais incrível é que as tais vozes pareciam amistosas aos ouvidos da semelhante imperfeita.

Resultado da intolerância: O mal  cometido pela terceira pessoa tornou-se ínfimo diante da maldade coletiva.

E foi assim que o Universo sincronizou os "dizeres" e "sentires", aliviando o fardo daquela que errou e não teve a chance de se redimir.

((Porque falar mal do outro em sua ausência, torna qualquer pessoa injusta e covarde))


(Barbara Ella acompanhando os ponteiros do relógio 



Postar um comentário